ALE/RO
ALE/RO
Por Rosinaldo Pires

Bolsonaro agiu certo e errado ao mesmo tempo, o “PAI” falou mais alto

Jair Messias Bolsonaro decreta diante da população o FIM de sua hegemonia

Publicado em 25 de abril de 2020

Bolsonaro agiu certo e errado ao mesmo tempo, o “PAI” falou mais alto

Família

A família é uma instituição criada por Deus e ela deve permanecer unida. Bolsonaro dá uma aula de família, isto ninguém pode negar.

Recém convertido ao evangelho, vem demonstrando amor por seus entes em especial sua filha caçula, o que por várias vezes em depoimento declarou. Os outros filhos de Bolsonaros, todos em carreiras de sucesso, são tidos como meninos de ouro, bem resolvidos e capazes. Quanto ao amor à família não há discussão, de fato Jair é um Pai.

 

Todavia

Este amor tem extrapolado as fronteiras do que é permitido, e muitas dúvidas são levantadas por parte da opinião pública e da Polícia Federal que está investigando os filhos do Presidente, especificamente Flávio Bolsonaro (Senador/RJ) e Carlos Bolsonaro (Vereador/RJ).

 

Símbolo da Lava-Jato

Sérgio Moro sabia dos riscos de sua decisão em abandonar 20 anos de carreira no Juizado Federal ocupado em Curitiba/PR, ao assumir na época o Ministério da Justiça.

Moro hoje é o símbolo n.º 01 da Lava Jato, o ex-juiz era conhecido como linha dura, integro, reto, sem curva.

 

Sem Noção

Bolsonaro dias antes aconselhou-se com os militares sobre a decisão que tomaria, talvez com objetivo de criar estratégias, caso Moro saísse disparando contra ele. Bolsonaro quer à Polícia Federal a seu serviço com informações diárias sobre as operações em curso, detalhes de investigações contra políticos, e membros de sua família, foi o que disse o ex-ministro. Se isto fosse possível, Dilma Rousseff, Luiz Inácio Lula da Silva, Michel Temer e o próprio Jair seriam acima do STF que é a instituição responsável por proteger a Constituição Federal.

 

Quem é Maurício Valeixo?

Formado em Direito e delegado de carreira da Polícia Federal, Maurício Valeixo, paranaense de Mandaguaçu, foi anunciado por Sérgio Moro como chefe da corporação ainda em novembro de 2018, antes mesmo da posse de Jair Bolsonaro como presidente da República.

Em Curitiba, Valeixo atuou em várias fases da Lava Jato, operação pela qual Sérgio Moro foi responsável quando juiz federal. Uma das tarefas de Valeixo à frente da Superintendência da PF no Paraná foi coordenar os trâmites para a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em abril de 2018.

Foi também em seu gerenciamento que foi fechada a delação de Antônio Palocci com a PF em Curitiba.

Valeixo também foi responsável pela Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Dicor) entre 2015 e 2017 em Brasília, durante o gerenciamento do ex-diretor da PF Leandro Daiello. O posto é considerado o de “número 3” na hierarquia da corporação e, naquela ocasião, era o setor mais ativo em tempos de Lava Jato.

 

Certo

Por defender seus filhos com unhas e dentes, como uma onça acuada diante de seus algozes.

 

Errado

Por colocar panos quentes em possíveis erros cometidos por seus filhos, a ponto de trocar o diretor-geral da Polícia Federal, bem como futuramente outros superintendentes.

 

Sérgio Moro

Sérgio Moro ao concluir sua coletiva disse está a disposição de seu país. Segundo especialistas está frase trata-se de uma possível candidatura em 2022 ao cargo de presidente da república. Atualmente moro tem altos índices de aceitação por parte da população brasileira, se assim manter será um adversário à altura de Jair Bolsonaro.

Gostou da notícia? Siga o DEIXA EU TE FALAR  no FacebookInstagram e no Twitter.

Entre no nosso Grupo do WhatsApp e receba as últimas notícias do Brasil e Rondônia.


HostMídia