modus

Eleições 2020: Com muita grana pretensos candidatos prometem “TORAR À PACA”

Uma campanha eleitoral é permeada de características comuns para alcançar os objetivos. Um bom projeto político com parâmetros reais é…

Publicado em 29 de janeiro de 2020 0

Eleições 2020: Com muita grana pretensos candidatos prometem “TORAR À PACA”

Uma campanha eleitoral é permeada de características comuns para alcançar os objetivos. Um bom projeto político com parâmetros reais é o que norteia qualquer coordenador de campanha. Uma equipe afinada (sem amadores), na sinergia de seu líder é capaz de fazer diferença nos mínimos detalhes. Esta eleição será diferente de todas já disputadas por candidatos experientes e de primeira viagem. Pois bem, de tempos em tempos surgem fenômenos eleitorais que enumeramos abaixo:

1 – Após a queda do período militar surgem figuras como Luiz Inácio (Lula), que após várias tentativas chega ao poder;

2 – Dilma Roussef também do PT que obteve votos em transferência por intervenção de Lula;

2 – Jair Messias Bolsonaro (Jair Bolsonaro), que após sofrer tentativa de homicídio vira o jogo e torna-se o “improvável” Presidente da República Federativa do Brasil na contra mão das pesquisas eleitorais.

3 – Em Porto  Velho já tivemos alguns fenômenos como o ex-prefeito Roberto Sobrinho, o atual prefeito Hildon Chaves e também o atual Governador de Rondônia Marcos Rocha, observem que todos estes nomes estavam em último lugar nas pesquisas.

Os nomes acima tinham algo em comum à impossibilidade, nenhum deles desistiu de seus sonhos em ser presidente da república ou prefeito de uma cidade.

Na prática em eleições regionalizadas estas tendências perdem a força, uma vez que a estrutura financeira ganha proeminência. Mas algo mudou, o eleitor brasileiro parece que é o mesmo, mas mudou. Com o advindo das redes sociais em especial aqueles que não são detectáveis como WhatsAPP, Telegram e outros do tipo, pois o seu envenenamento é sorrateiro e silencioso a informação tende a ser difundida mais rapidamente. Por mais dinheiro que alguém possa ter não conseguirá comprar todo mundo.

Modus Operandis:

Funciona mais ou menos assim:

Usamos como exemplo o candidato RIQUINHO que possui a bagatela de 600 mil reais para gastar (observe que está quantia é proibida, pois a legislação eleitoral não permite este montante, pois caracteriza abuso de poder econômico) em contratações, aquisição de combustível, confecção de material gráfico, alimentação e outras despesas. Este candidato já sai na frente, pois sua logística é extremamente eficiente, tendo em vista o aporte financeiro aplicado em sua campanha.

O PEDRINHO não tem recurso financeiro, mas tem um sonho de entrar na vida pública, para trabalhar corretamente e não usurpar o erário (lobby, empreiteiros, emendas e etc.). Pedrinho tem Dois Mil reais para investir, sua campanha é de porta em porta, não tem recurso para combustível, nem contratação, nem confecção de material gráfico. É lógico que o candidato RIQUINHO leva vantagem ao PEDRINHO.

A justiça eleitoral através de estratégias utilizando o DISK DENÚNCIA mais universitários e alguns voluntários na tentativa de inibir tais prática não tem tido êxito.

SUGESTÃO:

Estimular através de recompensas em dinheiro vivo para os denunciantes que terão sua identidade preservada no objetivo de guardar contra qualquer constrangimento sofrido por parte destes  “profissionais” do erário.

Gostou da notícia? Siga o DEIXA EU TE FALAR  no FacebookInstagram e no Twitter.

Entre no nosso Grupo do WhatsApp e receba as últimas notícias do Brasil e Rondônia.


HostMídia