ALE/RO
ALE/RO

Saúde Pública

Ministério da Saúde lança campanha para reforçar imunização para maiores de 18 anos

Dose de reforço será ampliada para toda população adulta acima de 18 anos que tenha concluído a imunização há cinco meses

Publicado em 16 de novembro de 2021

Ministério da Saúde lança campanha para reforçar imunização para maiores de 18 anos

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira (16) uma redução de intervalo para dose de reforço e ampliação da faixa etária de quem deve receber a 3ª dose da vacina contra a Covid-19 para pessoas com mais de 18 anos.

 

 

Muda também o intervalo para aplicação da dose de reforço de 6 para 5 meses.

Além disso, a nova orientação do Ministério da Saúde é que todas as pessoas acima de 18 anos, após a conclusão do ciclo vacinal, independentemente de que vacina tomaram antes, precisarão tomar uma terceira dose de reforço do imunizante contra a Covid-19.

A orientação é que o reforço seja aplicado, preferencialmente, com a vacina da Pfizer. Na falta desse imunizante, pode ser aplicada a AstraZeneca ou Janssen.

Reforço da Janssen

O Ministério da Saúde anunciou que todo cidadão brasileiro que recebeu a vacina da Janssen terá que tomar uma segunda dose. Até este momento, era o único imunizante considerado de dose única no país. Os Estados Unidos, sob recomendação da agência reguladora, Food and Drug Administration (FDA), já tinham começado a segunda aplicação da vacina em quem tomou a Janssen há pelo menos dois meses.

No início, a recomendação era que essa vacina fosse de dose única. Hoje, nós sabemos que é necessária essa proteção adicional. Então, os que tomaram a vacina da Janssen vão tomar a segunda dose do mesmo imunizante. […] A sequência é: completou cinco meses da segunda dose, receberá uma dose de reforço, preferencialmente com uma vacina diferente””, explicou o ministro Marcelo Queiroga.

Esclarecimentos da Anvisa

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou uma nota na tarde desta terça para prestar esclarecimentos sobre doses adicionais ou de reforço.

“A Anvisa reconhece e estimula os movimentos que visam a ampliação da vacinação contra à Covid-19 no Brasil. (…) Os dados disponíveis até aqui sugerem diminuição da imunidade em algumas populações, ainda que totalmente vacinadas. A disponibilidade de doses de reforço é um mecanismo importante para assegurar a proteção contínua contra a doença”, afirma a agência.

“Antes de incorporar a dose de reforço das vacinas, países como Estados Unidos, Canadá, Indonésia, Grã-Bretanha, Israel, membros da Comunidade Europeia e outros submeteram a estratégia à avaliação prévia das suas autoridades reguladoras. Primariamente, a terceira ou dose de reforço foi indicada para pessoas com sistema imunológico enfraquecido, idosos e profissionais de saúde”, acrescenta.

Fonte: CNN Brasil

Gostou da notícia? Siga o DEIXA EU TE FALAR  no FacebookInstagram e no Twitter.

Entre no nosso Grupo do WhatsApp e receba as últimas notícias do Brasil e Rondônia.


HostMídia