ALE/RO
ALE/RO
Por Rosinaldo Pires

Parte 1 – Clima esquenta com a aproximação das Eleições da OAB/RO

Nos bastidores Andrey Cavalcante que presidiu a OAB/RO por dois mandatos, tenta emplacar o nome de Márcio Nogueira, que enfrenta resistência por não ser um nome de consenso entre as principais lideranças da advocacia.

Publicado em 7 de julho de 2021

Parte 1 – Clima esquenta com a aproximação das Eleições da OAB/RO

Legenda: Solange Aparecida e Zênia Cernov

 

O cenário indica que Elton Assis atual presidente da OAB/RO, não disputará à reeleição, condição que lhe torna cobiçado para apoio político nas eleições da ordem que se aproxima, isto porque Assis mostrou-se exímio administrador na gestão mais desafiadora de todos os tempos da juvenil OAB/RO que aos seus 47 anos de fundação, jamais havia enfrentado uma pandemia. O comprometimento com à advocacia exigiram dedicação exclusiva para que a Ordem se mantivesse firme, no cumprimento da sua missão constitucional em defesa da sociedade e da valorização da advocacia, zelando pela defesa intransigente das prerrogativas profissionais.

 

Quando tudo parecia incerto e o indicado para o enfrentamento da pandemia era o distanciamento social forçado, a ordem não parou e capitaneada por Elton Assis, cobrou do Governo do Estado ações concretas e efetivas para o aumento de leitos de UTI e aquisição de insumos de forma célere e proba por parte dos gestores públicos, o norte das ações foram a defesa da sociedade, e a boa prestação jurisdicional, garantindo à advocacia que tivesse a disposição meios tecnológicos capazes de minimizar os efeitos da pandemia.

A saúde financeira, e a falta de transparência da instituição sempre foram evidenciadas pelas chapas que disputavam as eleições internas da Ordem. Assis recebeu a gestão com saldo negativo, e mesmo em meio à crise mundial ocasionada pela Covid-19, o caixa saiu do vermelho, e registrou já no ano de 2020, superávit em relação às receitas x despesas. Geralmente, a economicidade das despesas de custeio chegou perto de 13% no ano, e ainda houve vários investimentos na prestação de serviços à categoria.

Como dito anteriormente a gestão de Elton Assis destacou-se ao superar os desafios e manter a Ordem nos trilhos da independência e do progresso, tornando-se o principal apoio a ser conquistado pelos postulantes a cadeira de presidente, mas conquista-lo não será uma tarefa fácil, com perfil sério e conservador dificilmente apoiaria alguém que não defenda os mesmos princípios de economicidade, austeridade e defesa intransigente do advogado e advogada.

 

Nos bastidores Andrey Cavalcante que presidiu a OAB/RO por dois mandatos, tenta emplacar o nome de Márcio Nogueira, que enfrenta resistência por não ser um nome de consenso entre as principais lideranças da advocacia. O fato se dá, porque desde o primeiro ano da atual gestão Nogueira começou suas articulações visando as próximas eleições, com o atual presidente sentado na cadeira.

Embora Andrey Cavalcante movimente-se nos bastidores como se tivesse poder para decidir os rumos da instituição, ele certamente não é mais a “cereja do bolo”, tendo em vista sua fraca atuação no conselho federal, a quem diga que no meio da advocacia sua gestão não visa a coletividade, não havendo nenhuma conquista a ser destacada ao longo dos últimos quase 3 anos.

Com matérias pagas em sites de prestígio no Estado tentam imprimir a ideia de que a disputa está definida, é falso, o que se tem é uma tentativa desesperada para emplacar o nome de Márcio Nogueira, como se este fosse o nome natural do grupo do atual presidente, querem empurrar goela a baixo a indicação de Nogueira, resta-nos aguardar para ver se a estratégia de Andrey irá prosperar.

 

Parece que o nome da atual vice-presidente Solange Aparecida agrega muito mais, por tratar-se de uma mulher arrojada e com maturidade institucional, foi presidente eleita e reeleita da subseção de Ji-Paraná, e atualmente é a pessoa de confiança de Elton Assis, sem contar que tudo indica que chegou a vez de uma mulher presidir a OAB/RO, restando assim a disputa entre Solange/Zênia Cernov.

A advocacia possui um grande número de jovens advogados e advogadas. Na Ordem ainda prevalecem os costumes tradicionais e conservadores, porém na ponta ainda existem advogados que veem com bons olhos o uso contemporâneo das diversas mídias sociais disponíveis, mas há exageros que à advocacia não aceita, como por exemplo um “presidente tiktoker” desprendido da liturgia que a cadeira exige.

 

O Cenário nos parece mais palpável as pré-candidatas Solange/Zenia, que demonstram a garra e força da mulher com sobriedade, certamente terão tráfego livre entre os poderes, sem aquele cochicho de pé de orelha, você viu a publicação dele, no “aplicativo vizinho”.

 

QUEIMARAM A LARGADA

Sabemos que a política não perdoa amadorismo e nesse quesito destacamos o movimento precoce de Zênia Cernov e Márcio, tanto um quanto o outro já tentam ganhar à simpatia da advocacia há tempos, no caso de Zênia que lançou revistas, livros e promoveu “show nacional” com convites para advogados, doutro lado o advogado Márcio Nogueira investe nas redes sociais apresentando características de um adolescente, com barba mal feita e camisa para fora, não lembra nem de longe um presidente da Ordem, ao menos nos moldes que conhecemos.

 

O grupo que apoia à atual gestão não lançou oficialmente o nome de ninguém, e isso pode ser um ponto positivo, pois demonstra que estão focados em terminar o mandato para qual foram eleitos.

 

Certo mesmo é que nos bastidores comenta-se que Andrey Cavalcante tenta emplacar a qualquer custo o nome do seu pupilo, há uma tentativa clara de desqualificar Solange, sem sucesso, tendo em vista seu perfil conciliador e um currículo institucional exemplar que revela uma advogada que detém maturidade institucional em razão dos vastos serviços prestados para advocacia ao longo da sua militância.

 

Estamos acompanhando os bastidores, e como sempre não teremos um céu de brigadeiro nas eleições que se avizinham, e o apoio a ser conquistado certamente é o de Elton Assis atual presidente da Ordem, e não do ex-presidente. Embora na eleição de 2018 seu apoio tenha sido decisivo.

 

O clima de vale tudo parece ter tomado conta dos bastidores, onde o advogado Márcio Nogueira tenta a todo custo emplacar seu nome como candidato da situação.

 

Rosinaldo Pires – Jornalista DRT/RO 1905

Gostou da notícia? Siga o DEIXA EU TE FALAR  no FacebookInstagram e no Twitter.

Entre no nosso Grupo do WhatsApp e receba as últimas notícias do Brasil e Rondônia.


HostMídia