Vítima da COVID-19

Pastora que atuava no sistema prisional é mais uma vítima da COVID-19

Núbia Camacho havia completado 55 anos de vida no dia 15 de maio. Dedicou maior parte da sua existência à segurança pública

 

O sistema prisional de Rondônia está de luto, com a morte da servidora Núbia Amparo Dias Camacho, a pastora Núbia, chefe do Núcleo de Apoio Religioso da GERES/SEJUS. Vítima da Covid-19, ela estava em coma e não resistiu, vindo à óbito nesta quarta-feira (17).

Núbia Camacho havia completado 55 anos de vida no dia 15 de maio. Dedicou maior parte da sua existência à segurança pública. Em 16 de março chegou aos 30 anos de carreira na Policial Militar – ingressou em 1990 -, e os últimos anos foram dedicados à evangelização, reeducação e reinserção de apenados e egressos do sistema prisional.

Seu sorriso cativante, jeito atencioso e palavras de fé, facilitavam para que transitasse facilmente entre as classes policiais e os condenados pela Justiça. Ela era respeitada e admirada por todos.

Deixou três filhos sanguíneos, e ainda milhares de filhos na fé que guardam na memória ou no coração os ensinamentos da pastora, seus testemunhos e exemplo de quem dedicava a vida em prol da salvação de outras vidas consideradas perdidas.

O Singeperon, em nome de todos os policiais penais do Estado de Rondônia, lamenta a parda, e enaltece as ações indeléveis da pastora Núbia Camacho, que certamente seguirão rendendo frutos eternos. E que Deus conforte a família nesse momento de dor.


* A Revista Eletrônica DEIXAEUTEFALAR reserva-se o direito de manter integralmente a opinião dos articulistas sem intervenções. No entanto, o conteúdo apresentado na seção "COLUNISTAS" é de inteira responsabilidade de seus autores.

Deixe um comentário