ALE/RO
ALE/RO
Inovação

Pesquisadores da Unir desenvolvem farinha de pupunha em Ariquemes, RO

Ingrediente pode ser usado no preparo de doces e salgados. Pesquisadores acreditam que o próximo passo é levar o produto, rico em nutrientes, para a merenda escolar.

Publicado em 8 de maio de 2022

Pesquisadores da Unir desenvolvem farinha de pupunha em Ariquemes, RO

Pesquisadores do departamento de Engenharia de Alimentos da Universidade Federal de Rondônia (Unir) em Ariquemes (RO), estão desenvolvendo a farinha de pupunha. O novo ingrediente, que aproveita a fruta amazônica, pode ser transformado em bolos e em receitas salgadas.

Segundo os pesquisadores, o próximo passo, é levar o produto, rico em nutrientes, para a merenda escolar.

O catarinense Ocimar Júlio Sete, que atualmente mora na zona rural de Cacaulândia (RO), chegou há mais de 40 anos no estado e quando chegou, foi surpreendido pelo fruto amazônico.

“A gente via [a pupunha] nas lavouras. A gente via aquelas palmeiras que dava aquele coquinho, mas ele sapecava muito a boca porque ele era nativo. Então nós começamos a buscar conhecimento e a gente começou a plantar o que era comestível”, disse.

Em seu sítio, com cerca de 51 hectares, Ocimar produz de tudo um pouco, mas ao longo dos anos, o agricultor deu prioridade a plantação de pupunha. Atualmente, ele tem 50 árvores, com 150 hastes de pupunheiras em plena produção, além de uma lavoura em formação com 150 pés.

Geralmente, a safra de pupunha acontece de novembro a fevereiro. Na última safra, Ocimar colheu uma média de 1,5 mil kg do fruto, que ele vende quase tudo in natura.

Como é um fruto perecível, Ocimar acaba perdendo cerca de 20% da produção. Mas um projeto da Unir, que estuda formas de beneficiamento da pupunha, deve encontrar formas para melhor aproveitamento do fruto.

O último censo agropecuário do IBGE, realizado em 2017, apontou que 164 propriedades produzem pupunha em Rondônia e a média é de 267 toneladas por ano.

 

G1

Gostou da notícia? Siga o DEIXA EU TE FALAR  no FacebookInstagram e no Twitter.

Entre no nosso Grupo do WhatsApp e receba as últimas notícias do Brasil e Rondônia.


HostMídia