Escândalo no Judiciário

Saiba quem são investigados e testemunhas do caso do juiz de Buritis (RO) que foi preso esta semana

O juiz de Direito Hedy Carlos Soares, preso na última quarta-feira no aeroporto de Guarulhos (SP) quando iria embarcar para…

Publicado em 20 de agosto de 2022

Saiba quem são investigados e testemunhas do caso do juiz de Buritis (RO) que foi preso esta semana

O juiz de Direito Hedy Carlos Soares, preso na última quarta-feira no aeroporto de Guarulhos (SP) quando iria embarcar para os Estados Unidos, onde residem sua esposa e filhos, é acusado pelo Ministério Público de Rondônia de comandar um grupo criminoso atuando em Buritis, integrado por advogados e policiais civis de São Paulo.

Esta semana, o desembargador Osny Claro de Oliveira Júnior expediu mandados de prisão, buscas e apreensões de veículos, criptomoedas, gado e dinheiro em nome do juiz e demais envolvidos, totalizando pouco mais de R$ 4 milhões. O juiz, segundo a denúncia, usa um laranja para acobertar patrimônio e lava dinheiro com transações de gado e criptomoedas.

O caso começou a ser investigado quando Andréia de Lima Sinotti procurou a polícia alegando que o juiz, acompanhado de dois capangas armados, invadiram sua casa e a obrigaram a assinar uma procuração dando plenos poderes a Wevergton Alves da Silva para ele administrar o patrimônio dela e de seu marido, Sérgio Beraldo Santos, a mando do magistrado.

Os capangas armados eram os policiais civis paulistas Edson Navarro Miranda e Claudinei Aparecido Ribeiro, que viajaram para Buritis apenas para intimidar Sérgio, que segundo o juiz ‘lhe deve R$ 3 milhões’. Na cidade, quem ‘opera’ com o magistrado é a advogada Bárbara Siqueira Pereira, que segundo o MP, teria ‘aconselhado’ Andréia a fazer outro boletim de ocorrência tirando o nome do juiz para ‘não prejudicá-lo’.

Extorsão, uso de laranja e capangas armados; os supostos crimes do juiz Hedy Carlos Soares que resultaram em sua prisão, em RO.

Preso sob acusação de liderar organização criminosa, juiz Hedy Carlos foi advertido por sacar arma em local público

Juiz de Rondônia é preso em São Paulo por venda de sentenças; ele ia para os EUA

Conforme as investigações do Ministério Público, no período em que Sérgio trabalhou para Hedy Carlos, Andréia teria movimentado a quantia de R$ 4.236.665,47, valor este absolutamente incompatível com a renda declarada, o que reforça, segundo o Ministério Público, o fato de Andréia e Sérgio também atuavam como “laranjas” de Hedy Carlos.

A justiça de Rondônia determinou as prisões preventivas de Hedy Carlos, Bárbara, Edson e Claudinei. Além dos afastamentos de seus respectivos cargos públicos e proibição de ter qualquer forma de contato entre si ou com as supostas vítimas, Andréia de Lima Sinotti e Sérgio Beraldo Santos e com as testemunhas Guilherme José de Almeida, Natália Roberto e Lucas Torres Ribeiro.

A notícia é do Site PainelPolítico

Gostou da notícia? Siga o DEIXA EU TE FALAR  no FacebookInstagram e no Twitter.

Entre no nosso Grupo do WhatsApp e receba as últimas notícias do Brasil e Rondônia.


HostMídia