Oportunista

Senador de Rondônia que ajudou a ‘enterrar’ a Lava Toga no Senado com Renan Calheiros agora faz discurso vazio contra o STF

Marcos Rogério votou contra a instalação de uma CPI para investigar os ministros da Suprema Corte no âmbito do Congresso Nacional

Publicado em 30 de maio de 2020 0

Senador de Rondônia que ajudou a ‘enterrar’ a Lava Toga no Senado com Renan Calheiros agora faz discurso vazio contra o STF

Marcos Rogério, de Rondônia, além de ser o senador eleito pelo estado que mais gastou dinheiro público desde o início de seu mandato, é, também, o mais incoerente. Ele, junto com Renan Calheiros (MDB-AL), por exemplo, contribuiu para “enterrar” a Comissão Parlamentear de Inquérito (CPI) da Lava Toga quanto a matéria ainda tramitava na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado.

Apesar de ser o “coveiro” da CPI e ter jogado a pá de cal na possibilidade de os membros do Supremo Tribunal Federal (STF) serem investigados pela Câmara Alta de Brasília, o congressista continua fazendo discursos vazios em franca ofensiva retórica na direção dos representantes do Poder Judiciário.

Ele chegou a se manifestar após as últimas decisões proferidas pelo Supremo no processo relacionado às notícias falsas (fake news), inquérito este deflagrado e julgado pelo próprio STF. “Não podemos considerar normal um inquérito instaurado sem fato determinado. Amplíssimo, diga-se de passagem, quando o artigo 43 do Regimento Interno do STF trata de forma absolutamente excepcional da apuração de infração à lei penal na sede ou dependências do tribunal, o que nem de longe é o caso em questão. Não podemos admitir que seja tão flagrantemente ignorado o sistema acusatório e se normalize o sistema inquisitório”, destacou o senador de Rondônia a respeito.

Em seguida, asseverou: “O máximo que um magistrado pode fazer, diante de indícios de um crime de ação pública, é encaminhar ao Ministério Público, ao qual caberá propor ação penal ou aprofundar a investigação, diretamente ou através da polícia investigativa.

Espero, sinceramente, que seja acolhido o pedido do procurador-geral da República e, se houver crime, então que o órgão competente examine e promova a devida apuração e acusação”, concluiu Marcos Rogério.

Nas palavras, o representante do povo de Rondônia se sai bem; nas ações, por outro lado, demonstrou ser perdulário, gastador, e, ainda, não se importar com os anseios da sociedade que o elegeu, porquanto, quando pôde, de fato, fazer algo para frear ações supostamente ilegais patrocinadas pelo STF, optou por se posicionar pelo arquivamento do pleito, enterrando de vez a Lava Toga.

Gostou da notícia? Siga o DEIXA EU TE FALAR  no FacebookInstagram e no Twitter.

Entre no nosso Grupo do WhatsApp e receba as últimas notícias do Brasil e Rondônia.


HostMídia